Guide to Open Banking
Guide to Open Banking
Guias

Open Banking explicado: Tudo o que deve saber

2022-03-21 · 10 min de leitura

O Open Banking é um termo dos serviços financeiros que se refere a uma nova era da indústria financeira. Abre a porta `à inovaçção e serve os consumidores e as suas necessidades ao mesmo tempo que mantém um foco forte na segurança.

Neste guia, irá encontrar as informações mais importantes sobre o Open Banking, incluindo a definição, exemplos e benefícios. Iremos ainda abranger a forma como as empresas podem tirar o maior partido da Open Banking com a ajuda da kevin.

O que é o Open Banking?

Em termos simples, o Open Banking descreve uma prática dos bancos que partilham vários dados com terceiros prestadores de serviços regulados. Os bancos fornecem acesso à banca de retalho, dados de transação e outras informações financeiras. Estes dados são partilhados através de interfaces de programação de aplicação seguras (API).

O objetivo do Open Banking é melhorar os serviços financeiros para os consumidores. Disponibilizar os dados que os bancos tradicionais mantiveram para seu uso interno cria novas oportunidades. O Open Banking cria mais espaço para que novas empresas entrem no mercado e ofereçam produtos novos e inovadores que beneficiam os consumidores.

É importante notar que todos os dados mencionados só são partilhados depois de um cliente escolher partilhar informações.

O Open Banking cria diferentes oportunidades para as partes envolvidas:

  • As empresas fintech agora têm todos os dados e ferramentas necessárias para criar serviços e produtos inovadores;
  • Os comerciantes podem utilizar as soluções oferecidas por parte dos prestadores de serviços financeiros licenciados para melhorar os seus fluxos de pagamento e ferramentas financeiras;
  • Os consumidores desfrutam de mais oportunidades para gastar, pedir emprestado e investir o seu dinheiro.

Como é que o Open Banking funciona?

Traditional Banking vs Open Banking

O Open Banking utiliza interfaces de programação de aplicação (API) para partilha de dados. Antes de avançarmos para explicar como funciona a Open Banking, é importante entender como as API funcionam. Em palavras simples, as API são uma forma de o software comunicar com outro software e trocar informações.

No caso da Open Banking, os bancos fornecem as suas API a prestadores de serviços financeiros autorizados. Estas API contêm várias peças de informações como, por exemplo, o nome do titular de uma conta, tipo de conta, moeda, histórico de transações, etc. Estas informações só são disponibilizadas a terceiros prestadores de serviços assim que o titular da conta concordar explicitamente com a partilha dos dados. Os consumidores normalmente dão a sua autorização através de um formulário online concordando com os termos e condições.

Assim que o consumidor concordar partilhar os seus dados, os terceiros prestadores de serviços podem aceder às informações partilhadas relevantes através das API. O desenvolvimento e a implementação das API são responsabilidade dos bancos.

O que é uma API em Open Banking?

No Open Banking, os bancos partilham as suas interfaces de programação da aplicação (API) com terceiros autorizados de modo a trocar informações financeiras sobre os seus consumidores. As fintechs e outras empresas utilizam estes dados para desenvolver novas aplicações e serviços para melhorar a experiência de banca do cliente.

De acordo com a legislação Europeia PSD2, todos os bancos devem fornecer aos terceiros qualificados acesso automático a informações financeiras do cliente. As API são utilizadas para criar uma comunicação segura entre os sistemas de banca online e terceiros.

O que é um exemplo de Open Banking?

Os comerciantes e consumidores já desfrutam amplamente dos benefícios do Open Banking. Aqui estão três dos muitos exemplos das novas oportunidades que o Open Banking criou:

1. Serviço de iniciação de pagamento (PIS)

Graças ao Open Banking, os comerciantes podem utilizar serviços de iniciação de pagamento para proporcionar uma experiência de checkout melhor aos seus clientes. Os prestadores de serviços de gateway de pagamentos online entraram no mercado e melhoraram, consideravelmente, os fluxos de checkout.

Por exemplo, anteriormente, os consumidores normalmente tinham de pagar pelos bens fazendo uma transferência online da sua conta bancária. Para tal, teriam de abrir inúmeras janelas, copiar e colar ou até mesmo escrever os dados da conta para realizar o pagamento. Tal fluxo de pagamento era inconveniente, arriscado e consumia tempo.

Com o Open Banking, as empresas de fintech criaram serviços de iniciação de pagamento convenientes. Estas soluções inovadoras permitem aos consumidores pagar os bens de forma segura e com apenas alguns cliques. Os fluxos de pagamento melhorados também aumentam as vendas, uma vez que menos compradores abandonam os seus carrinhos devido a um processo de pagamento moroso.

2. Serviço de informação sobre contas (AIS)

O Open Banking permite às entidades de crédito aceder a informações de diferentes bancos de forma rápida. No passado, se alguém pedisse um empréstimo, o credor teria de reunir uma parafernália de informações sobre o histórico financeiro da pessoa. Demoraria muito tempo a recolher os dados e seriam necessários recursos de todas as partes envolvidas: a entidade credora, os bancos e o requerente.

As API de Open Banking tornam o processo muito mais fácil. A entidade credora consegue pedir, de forma digital, informações das API do banco e recebê-las em segundos com a autorização do requerente. O processo torna-se muito mais rápido e necessita de muito menos recursos do que antes.

3. Menos taxas de transação

Raramente os consumidores pensam sobre as taxas que os comerciantes necessitam de pagar de modo a aceitar pagamentos com cartão. Cada transação com cartão pode incluir até 15 taxas diferentes que podem inflacionar o custo de bens e serviços.

Para evitar estas taxas, os comerciantes em lojas físicas por vezes têm de tomar decisões difíceis. Algumas lojas escolheriam não receber pagamentos com cartão. Outras definiriam um custo mínimo ou pediriam aos consumidores que pagassem um extra por pagamentos com cartão. Os comerciantes online pediriam aos clientes que fizessem transferências bancárias a partir das suas contas, levando a um conjunto de passos sobre os quais já falámos.

O Open Banking abriu caminho a pagamentos conta-para-conta (A2A) que permitem que os compradores paguem bens e serviços diretamente a partir da sua conta bancária. Os consumidores podem inclusivamente associar a sua conta bancária a uma app ou página web de um comerciante e realizar pagamentos num só clique. Pagar diretamente a partir de contas bancárias remove todas as taxas de processamento aplicadas a cartões e beneficia comerciantes e consumidores.

Porque necessitamos do Open Banking?

Durante muitos anos, os bancos têm sido um dos setores mais sobrecarregados pelo seu legado. Sendo que muitas pessoas gostam de abordagens conservadoras no que concerne a finanças, a situação beneficiou principalmente os maiores bancos e não os consumidores. Não houve lugar para inovações no setor da banca.

O Open Banking é uma lufada de ar fresco quando comparada com a banca tradicional. Abre a porta a inovações necessárias no setor financeiro e retira-o da estagnação. Estas são as principais razões para a existência do Open Banking:

  • O Open Banking cria mais concorrência para os bancos e desafia-os para oferecerem produtos e serviços melhores por um preço melhor;
  • Muda o foco da geração de fundos para os bancos para a melhoria da experiência do cliente;
  • O Open Banking permite mais espaço para inovações e encoraja as empresas a encontrar soluções para problemas a longo prazo.

Quais são os benefícios do Open Banking?

Benefits of open banking

O Open Banking tem muitos benefícios diferentes para instituições financeiras e clientes, mas os principais são:

  • Melhor experiência do cliente;
  • Novos fluxos de receitas;
  • Modelo de serviço sustentável.

Benefícios para empresas

Acesso a dados - O Open Banking democratizou o espaço que tem sido governado pelos bancos tradicionais. As fintechs e outras empresas podem agora aceder aos mesmos dados que os grandes bancos, o que cria oportunidades mais justas para empresas de todos os tamanhos. Mesmo as empresas mais pequenas têm agora as ferramentas para se juntarem à competição.

Melhor envolvimento do cliente - Os dados que o Open Banking disponibiliza permitem que as empresas forneçam ofertas personalizadas aos seus clientes. Analisar os dados, ajudar a fazer sugestões relevantes para clientes diferentes com base nos seus hábitos financeiros e, desta forma, aumenta o envolvimento do cliente.

Benefícios para os consumidores

Informações centralizadas - O Open Banking tornou possível localizar informações financeiras num só lugar. Todos os dados financeiros podem agora ser acedidos através de uma app, permitindo que os utilizadores tomem decisões informadas e lidem com as finanças pessoais de forma mais adequada. Desta forma, os consumidores conseguem ter maior controlo das suas finanças.

Experiência do cliente - Desde a introdução do Open Banking, quase todos os grandes bancos criaram uma app móvel, digitalizaram uma grande parte dos seus serviços e reduziram drasticamente o tempo de espera para os seus clientes. Ao mesmo tempo, as fintechs introduziram várias soluções que melhoram os fluxos de pagamento, tornam os empréstimos de dinheiro mais fáceis e simplificam o investimento de dinheiro.

Soluções inovadoras - Muitas soluções que foram desenvolvidas graças ao Open Banking beneficiam os consumidores. O Open Banking trouxe fluxos de checkout mais rápidos, pagamentos móveis mais fáceis e serviços de banca digitais. Só podemos imaginar as inovações incríveis que estão por chegar.

Regulamentos do Open Banking

Os regulamentos do Open Banking variam de país para país. Por exemplo, os regulamentos europeus do Open Banking seguem a Norma Técnica de Regulamentação (RTS) que foi publicada pela Autoridade Bancária Europeia (EBA) e pelo Banco Central Europeu (BCE).

Os regulamentos do Open Banking mais importantes na Europa são os requisitos para:

Na Europa, todas as API desenvolvidas têm de ser aprovadas pelas autoridades. Asseguram a conformidade e garantem a privacidade e a segurança controlando e monitorizando a partilha de dados.

Qual é a diferença entre o Open Banking e PSD2?

Open Banking e PSD2 não são sinónimos. O Open Banking é um conceito que iniciou a revolução no setor da banca requerendo aos bancos que disponibilizassem os dados bancários dos clientes a terceiros prestadores de serviços autorizados.

A diretiva de serviços de pagamento revista, ou PSD2, é uma legislação reguladora da UE que define a aplicação da Open Banking. Esta legislação garante que os dados financeiros do cliente estão a ser partilhados de forma segura.

A PSD2 abrange três tipos de serviços de Open Banking: serviços de iniciação de pagamento, serviços de informação sobre contas e confirmação de fundos. A legislação aplica-se apenas a países na UE e no Espaço Económico Europeu (EEE).

Embora que PSD2 e Open Banking sejam frequentemente utilizadas como sinónimos, são muito diferentes. Resumidamente, a PSD2 abre a porta ao Open Banking para ser incorporada com segurança na Europa.

O Open Banking é segura?

A segurança está no âmago do Open Banking e tudo o que anda à sua volta foi criado com a máxima segurança em mente. Isto aplica-se a tudo, desde API ao manuseamento de todos os dados relacionados.

O Open Banking europeu implementou a autenticação forte do cliente e funcionalidades de gestão do consentimento para garantir a segurança. A maioria dos bancos e instituições financeiras têm funcionalidades adicionais para identificar atividades fraudulentas. Por exemplo, a kevin. integrou funcionalidades de segurança robustas que podem proteger as empresas da fraude online.

A partilha de dados sensíveis que foram mantidos fechados às sete chaves, poderá parecer uma receita para o desastre. Mas visto que todos têm consciência dos riscos, o Open Banking foi desenvolvida com atenção adicional à segurança.

Por exemplo, as empresas que procuram obter acesso a dados financeiros dos consumidores são obrigadas a realizar verificações. Os terceiros prestadores de serviços devem demonstrar a sua segurança perante os bancos antes de serem trocados quaisquer dados. Quando lhes é pedido o acesso, as empresas devem ainda informar os consumidores sobre como e durante quanto tempo os seus dados serão utilizados.

Não só o Open Banking é seguro, como também as API criam transparência e dão aos clientes mais controlo sobre os seus dados financeiros.

Tirar o maior partido do Open Banking com a ajuda da kevin.

A kevin. é um dos melhores exemplos de como o Open Banking pode beneficiar empresas e os seus consumidores por toda a Europa. Desde 2018 que oferecemos soluções de pagamento inovadoras com a máxima segurança por um preço justo - algo que os bancos tradicionais não conseguiram oferecer aos seus clientes.

Além disso, a kevin. abrange diferentes tipos de pagamentos, oferecendo soluções inovadoras para pagamentos móveis, web e no ponto de venda. Com a kevin., todas as empresas podem beneficiar do Open Banking, proporcionando aos seus clientes a melhor experiência.

A kevin. fornece uma infraestrutura de pagamentos a empresas de todos os tamanhos e por toda a Europa. Leia o nosso blogue para descobrir como a Decathlon, o maior retalhista de material desportivo do mundo, já está a colher os frutos do Open Banking e conseguiu cortar para metade as taxas de carrinhos abandonados com a kevin.

Questões Frequentes

O que é o Open Banking?

O Open Banking são bancos que partilham dados do consumidor com terceiros prestadores de serviços autorizados. Os dados são partilhados através de API e só ficam acessíveis quando os consumidores dão o seu consentimento explícito.

Quem regula o Open Banking?

O Open Banking tem diferentes reguladores em diferentes países. Por exemplo, o Open Banking é regulada pela Autoridade de Conduta Financeira (Financial Conduct Authority - FCA) no Reino Unido. Na UE e no EEE, o Open Banking segue os regulamentos redigidos pelo Banco Central Europeu (BCE) e pela Autoridade Bancária Europeia (EBA).

Porque é que o Open Banking é importante?

O Open Banking é importante porque revoluciona o setor bancário, abrindo o mercado a mais empresas financeiras. Aumenta os fluxos de receitas existentes e expande o alcance do cliente para instituições financeiras, ao mesmo tempo que coloca o cliente e a segurança no âmago do serviço.

Desfrute dos benefícios da open banking

Integrar a infraestrutura de pagamento kevin.